Os Desafios dos Gestores nas Empresas de Engenharia e como Ultrapassá-los

 
Os desafios dos Gestores nas Empresas de Engenharia e como Ultrapassá-los 

Ser gestor numa empresa de engenharia não é o cargo mais fácil que alguém pode ter. Não só são responsáveis por liderar e gerir uma equipa de engenheiros, mas também são responsáveis pela supervisão da conceção, desenvolvimento e execução de projetos de engenharia e garantem que são concluídos a tempo, dentro do orçamento e com os padrões de qualidade exigidos. Estes gestores também têm de orientar e ajudar a desenvolver as competências das pessoas que estão a gerir. Além disso, colabora com todos os departamentos e stakeholders para garantir que o trabalho da equipa está alinhado com as metas e objetivos gerais da empresa.

Tendo em consideração estas questões, ter algumas competências e qualificações-chave ajudaria em desempenhar esta função com excelência. Os gestores neste setor deveriam ter competências técnicas fortes e serem gestores de projetos bons numa primeira instância. Eles também deveriam ser capazes de comunicar eficazmente, tendo competências de contratação fortes e saberem como empoderar a sua equipa e mantê-la empenhada, considerando as forças e fraquezas dos seus membros. Além disso, ter competências de negociação boas é sempre uma vantagem.

De acordo com a opinião de gestores com vários anos de experiência, há desafios comuns que a maior parte dos gestores engenheiros enfrentam no seu dia-a-dia em empresas e que requerem a sua atenção imediata. Caso contrário, surgirão outros problemas. Entre os desafios comuns, os que acontecem com mais frequência são: estabelecer objetivos e expectativas claros, assumir a responsabilidade pelas suas decisões, contratar os talentos certos, proporcionar um ambiente que favoreça o desenvolvimento, melhorar o desempenho da equipa, motivar os seus membros e criar uma cultura empresarial forte. Se estes desafios não forem notados e as soluções aplicadas atempadamente, os gestores terão dificuldades em construir uma equipa coesa. Isso, por sua vez, afetará o desempenho e produtividade da equipa.

Apesar de existir muitos problemas que os gestores podem enfrentar nos locais de trabalho como engenheiros, ultrapassar os problemas seguintes poderia tornar o caminho a seguir muito mais fácil:

Definir objetivos e metas previstas costuma vir em primeiro lugar. Os gestores sabem muito bem que é fácil escrever os objetivos, mas alcançá-los já é outra história. Estabelecer demasiados objetivos de uma só vez, prazos aproximados de cumprimento irrealistas para tarefas a serem feitas, ou até falta de confiança nas equipas dos gestores são os aspetos mais desafiantes quando se definem objetivos. Também se pode abdicar de definir objetivos com medo de falhar. Isto, infelizmente, leva à omissão de objetivos específicos que podiam ter sido fáceis de alcançar. Assim, é fortemente recomendado estabelecer um objetivo para cada tarefa que os engenheiros possam realizar. Não é recomendável sobrecarregar as equipas com muitos objetivos. Também é importante tentar definir prazos realistas para as tarefas. Além disso, note-se que os trabalhos de engenharia têm níveis diferentes de dificuldades. Alguns objetivos são fáceis de alcançar, outros são difíceis.

Outro desafio que também consome muito tempo para os gestores técnicos é a fase de recrutamento de talentos. Contratar um talento novo é desafiante para um gestor engenheiro, sobretudo porque ele foca-se em contratar o melhor talento, em vez do talento “certo”. Quando se é um gestor engenheiro, precisa-se de perguntar a si próprio o quanto vai impactar uma contratação nova numa equipa e empresa em geral. Para definir talento “certo”, um líder engenheiro deve considerar a dinâmica da equipa ou os objetivos a curto e a longo-prazo.

Entre os desafios que se colocam, gerir a produtividade e esgotamento é uma questão que se põe apenas posteriormente. De facto, o volume de trabalho numa empresa varia de tempos a tempos, especialmente para as start-ups. Há momentos em que os engenheiros são obrigados a trabalhar horas excessivas devido ao volume de trabalho elevado atribuído, enquanto que há também tempos com um volume de trabalho leve. Os gestores tendem a atribuir mais tarefas a engenheiros com prazos curtos quando estes têm de atingir os objetivos rapidamente. Assim, é necessário gerir a distribuição do volume de trabalho por períodos de atividade variáveis. Deve-se ter em mente que as multi-tarefas também tornarão as situações ainda mais difíceis para se conseguir manter um ritmo saudável, com vista a uma produtividade ótima.

Quando há a atribuição de tarefas, os gestores devem ser precisos acerca do resultado esperado, horários e recursos necessários. Esta clareza ajudará os membros da equipa a entenderem quais as suas responsabilidades e o que é esperado deles. Reconhecer o trabalho árduo e as conquistas, tanto a nível individual, como a nível coletivo, ou celebrar as conquistas, aumentará o moral da equipa. Além disso, ao incentivar os funcionários a aceitarem desafios e a considerarem os fracassos como uma oportunidade de progresso, os gestores criarão um ambiente em que os membros da equipa se sentirão empoderados para assumir riscos e aprenderem com as suas experiências.

O próximo tipo de desafios é a resolução de conflitos. Os conflitos numa equipa podem ser tão simples como dois engenheiros a discutirem sobre a solução de um problema. Também pode ser sobre dois engenheiros que têm opiniões pessoais diferentes em assuntos não relacionados com o trabalho. Os gestores podem não estar preparados para tratar destas questões com profissionalismo. Por isso é que é tão importante ter formação em resolução de conflitos, antes que os mesmos se tornem piores. Se um conflito não for detetado precocemente, não desaparecerá por si só. Não resolver um conflito dará a entender à sua equipa que o gestor não está a par do que se passa na empresa, não se importa com isso ou que não consegue resolver o conflito eficazmente.

Por vezes, a falta de ligação à empresa é o desafio dos gestores. Um gestor pode sentir que perdeu o contacto com o trabalho real de engenharia e recear perder o respeito da sua equipa. Nesses casos, é simplesmente dar um passo atrás e determinar se precisa de estar presente em todas as reuniões e em todas as comunicações ou não. Se os seus engenheiros conseguem fazer um trabalho bem feito, tente confiar neles. Obviamente, nas empresas de engenharia, o objetivo é tornar a equipa mais eficiente e eficaz e dar-lhe oportunidades de utilizarem as suas competências. Seria também muito melhor evitar a micro-gestão dos engenheiros e deixar de supervisionar todos os projetos, de adivinhar as suas decisões ou de lhes atribuir responsabilidades com relutância! Os engenheiros podem perder a motivação se lhes forem atribuídas tarefas triviais regularmente e se ficarem presos a um problema durante muito tempo. Para manter a equipa concentrada no objetivo final, os gestores devem mostrar-lhes o impacto do seu trabalho na empresa.

O último ponto, mas não menos importante, é que ser um gestor em empresas de engenharia não é uma tarefa fácil, mas vale a pena ultrapassar todos os desafios. Uma vez que se trata de um trabalho que consiste em entregar projetos dentro do tempo e orçamento, melhorar as competências de gestão irá certamente aumentar também os resultados da sua empresa.

Autor: Sejad Silva

 

Contacte-nos
Português